Um Português e um Brasileiro Entram num Bar… (2021)

180

Gregorio Duvivier e Ricardo Araújo Pereira, dois dos melhores humoristas de língua portuguesa, subiram ao palco do Teatro Tivoli BBVA, em Lisboa, nos dias 22 e 23 de Novembro, e do Teatro Sá da Bandeira, a 29 e 30 do mesmo mês. Os dois amigos, separados pelo Atlântico, voltaram a reunir-se em quatro noites únicas. 

 

Um português e um brasileiro entram num bar… O português é Ricardo Araújo Pereira, o brasileiro é Gregorio Duvivier. Gregorio criou, juntamente com amigos, o Porta dos Fundos, o maior canal de humor do Brasil. Ricardo criou, também com amigos, o Gato Fedorento, grupo no qual Gregorio se inspirou para criar o Porta dos Fundos. Ambos escrevem, todas as semanas, na Folha de São Paulo e fazem um programa de humor político. Cada formato – sketch, coluna, comedy news – tem os seus desafios, mas todos têm em comum a mesma obrigação: ser engraçado.

 

Ricardo e Gregorio juntaram-se e conversaram duas vezes, em 2017, com grande sucesso. Os vídeos desses encontros ultrapassaram um milhão de visualizações no YouTube. Mas o mais importante: ficaram amigos. Nunca mais se viram. Hoje são duas figuras ímpares do humor em português e precisaram de um pretexto para se voltar a juntar.

 

UM PORTUGUÊS E UM BRASILEIRO ENTRAM NUM BAR…

 

“Como fazer humor em tempos de cancelamento? Ricardo Araújo Pereira e Gregorio Duvivier entendem muito bem disso, pois ambos são cancelados todas as semanas. Voltaram para contar a história. Às vezes tentam cancelar, também. Mas ficam presos numa ligação interminável de telemarketing. Impossível cancelar uma conta, quanto mais uma pessoa. “Tudo tem graça, desde que aconteça a outra pessoa”, diz o Mel Brooks. A conversa sobre os atores versará sobre a graça que é a diferença entre a graça e a desgraça.

O mundo mudou, e não para de mudar. O humor mudou junto. Mas já não muda do jeito que mudava. Até isso mudou.  Fazer graça está, de fato, cada vez mais difícil. Mas ninguém falou que seria fácil. Os obstáculos de se fazer humor hoje tornam a profissão ainda mais desafiante e, porque não, engraçada.

Gregorio e Ricardo não responderão, no entanto, a perguntas como: “Pode-se rir de tudo?” ou “qual o limite do humor”? Cansados de ouvirem sempre as mesmas perguntas, os dois humoristas resolveram fazer novas perguntas, essas sim fundamentais: por que é que “já” é agora, mas “já já” é daqui a pouco? Por que é que “ãrrã” é sim, mas “ã-hã” é não?  Isso é o que importa ser discutido hoje. Muitos dirão que há muito pouco que una todas as variantes do português. A dupla de palestrantes vai discordar. Todas as variantes desprezam com igual fervor o Novo Acordo Ortográfico.”

 

GREGORIO DUVIVIER e RICARDO ARAÚJO PEREIRA
(Escrito em português do Brasil) 

Newsletter