Yazz Ahmed

Yazz Ahmed é uma trompetista e compositora Britânico-Árabe (Barém). Através da sua música, Yazz procura dissipar as linhas entre o jazz e a sonoridade electrónica, juntando os sons da sua herança mista descritos como ‘jazz árabe psicadélico, intoxicante e atraente’.

 

Yazz atuou com os seus ensembles no Reino Unido e Europa, Rússia, Ucrânia, Turquia, Tunísia, Argélia, Barém, Kuwait, Estados Unidos da América e no Canadá. Atuou e encantou plateias em grandes festivais como o WOMAD, Love Supreme, NYC Winter Jazz Fest e Pori Jazz.

 

A sua carreira está repleta de conceituadas colaborações, tendo gravado e atuado com artistas como Radiohead, Lee Scratch Perry, Transglobal Underground, Susheela Raman, Tarek Yamani, Amei Zen e realizado uma digressão internacional com a banda These New Puritans. 

 

Como solista e compositora convidada, Yazz atuou com a Arturo O’Farrill’s Afro Cuban Jazz Orchestra, com a Orquestra de Jazz da Universidade de Cambridge, com a Orquestra Nacional Juvenil de Jazz (NYJO),  com a Orquestra Nacional Juvenil da Escócia (NYOS) e com a Orquestra de Jazz da Guildhall School of Music & Drama. 

 

Alhaan al Siduri, uma suite escrita com o apoio do Birmingham Jazzlines, estreou em outubro de 2015 no CBSO Center, em Birmingham. Esta composição é influenciada pelas raízes árabes de Yazz, inspirada nas músicas folk dos mergulhadores de pérolas do Barém e nas músicas tradicionais de casamentos cantadas por mulheres. A segunda apresentação desta composição, marcou a estreia de Yazz na sua terra natal, no Festival de Música do Barém, em 2016.

 

Ainda em 2015, a organização Tomorrow’s Warriors, com o apoio da PRS Women Make Music, contratou Yazz para compor uma peça inspirada em mulheres corajosas e influentes. Polyhymnia foi estreada pela NU Civilisation Orchestra no Festival WOW! no Dia Internacional da Mulher, em março do mesmo ano.

 

Enquanto compositora da LSO Soundhub, em 2016, Yazz aproveitou para escrever música para o seu recente fliscorne quarter-tone. Este instrumento único, permitiu-a aproximar-se da natureza espiritual das ‘notas de blues’ da música Árabe, tendo a sua herança inspirado profundamente a sua música.

 

The Planets 2018, um trabalho criado especialmente para uma digressão em planetários, celebra o centenário do compositor Gustav Holst e a astronomia moderna. Encomendado pelo Ligeti Quartet, a composição de Yazz, Saturn, foi apresentada e interpretada no Reino Unido, em outubro de 2018.

 

Ainda na exploração do espaço, Yazz foi convidada pela Open University, a compor uma peça a solo inspirada na lua, que foi interpretada no OU Moon Night, em dezembro de 2018.

 

O segundo álbum de Yazz, La Saboteuse, foi lançado em 2017 pela Naim Records. Este, teve um impacto global, conseguindo várias críticas positivas e sendo incorporado nas listas best of desse ano, foi, também, considerado como o Álbum de Jazz do Ano pela revista The Wire, e alcançou o 18º lugar no top 100 de todos os géneros musicais do Bandcamp.

 

“Isto é encantador, uma música de final de noite que flutua no espaço limiar entre os sonhos e a realidade. E pela beleza pura e não conquistada, existem poucos álbuns de qualquer género que alcançam esses patamares inebriantes. Ahmed, mergulhando profundamente dentro de si, volta à superfície com um artefato misterioso e maravilhoso zumbindo nas suas mãos.the2010.net

 

La Saboteuse Remixed, lançado em agosto de 2018, conta com colaborações de três Dj’s eminentes europeus de música eletrónica – Hector Plimmer, DJ Khalab e Blacksea Não Maya. Quatro das peças do álbum original foram reimaginadas, levando a sua música para um novo campo e alcançando um novo público.

 

Em junho de 2019, foi revelada a coda de La Saboteuse: A Shoal of Souls. Composta como uma reação à impressionante obra de arte de Sophie Bass para La Saboteuse, a obra é dedicada às milhares de vidas perdidas nos últimos anos por aqueles que tentam atravessar o Mar Mediterrâneo em busca de um futuro melhor. A Shoal of Souls foi, também, apresentada como banda sonora de uma campanha publicitária da Apple para o iPhone 11O single de edição limitada foi lançado pelo novo serviço de gravação de vinil do Bandcamp, em associação com a IXCHEL Records, encerrando o projeto La Saboteuse.

 

O terceiro álbum de Yazz Ahmed, Polyhymnia, 2019, é um grande trabalho concebido como uma mensagem ao mundo sobre a história e o crescente empoderamento das mulheres. O álbum tece uma série de homenagens poderosas a mulheres notáveis ​​da história, cujas histórias ressoaram e inspiraram Yazz: Rosa Parks, Malala Yousafzai, Ruby Bridges, Haifaa Al-Mansour, Barbara Thompson e The Suffragettes. Rica em imagens musicais, Polyhymnia, explora o percurso dessas mulheres e as suas lutas e triunfos, evocando os conceitos universais de perdão, opressão, esperança e poder de superação.

AGENCIAMENTO

Paulo Sousa Martins

AGENDA

Não existem eventos marcados

Spotify

Clipping

View my Flipboard Magazine.